Jack

Jack - The RipperAlgumas pessoas ficam impressionadas negativamente com a imagem do JACK, um dos símbolos do SMC. Pois não deviam:

A imagem do Diabo

No século I a Igreja Católica Apostólica Romana estava se expandindo pelos povos pagãos, que é tão-somente o nome dado pelos católicos aos seguidores de outras doutrinas (da mesma forma que 'bárbaros" é o nome dado pelos romanos aos povos de fora do seu Império).

Nessa época, o Mal ainda não tinha uma representação visual, e então foi criado o Diabo, com elementos de alguns dos deuses pagãos, principalmente de "Pã", da mitologia grega, chamado de "Fauno" na mitologia romana. Dessa forma, Roma pretendeu erradicar o culto aos deuses antigos em favor da nova religião.

Um Pouco de Mitologia

Pã / Fauno

Pã/Fauno é o deus dos pastores, por isso sua imagem tem os chifres dos rebanhos europeus: bodes e cabras. Também por isso ele tem cascos no lugar dos pés (o Diabo católico acrescentou o rabo em forma de seta e o cheiro de enxofre a esta imagem). Algumas lendas contam que ele é descendente de Zeus, outras de Hermes. Sendo um espírito da Natureza, Pã é mais antigo que os próprios Olimpianos, habitando Arcádia, montanha mítica similar ao Monte Olimpo.

Pã/Fauno era uma divindade que velava pela fertilidade dos campos e pela fecundidade dos rebanhos. Gostava de perseguir as ninfas.  Fauno deu origem aos faunos, ou divindades menores que presidiam aos trabalhos rurais; tinham corpo de homem coberto de pêlos de bode e com patas e chifres do mesmo.

Pã era um deus fecundante, muito ativo na conquista amorosa, quer junto das ninfas como das adolescentes, aos quais inspirava um "medo pânico". Divertia-se assustando as pessoas no campo – daí veio a palavra "pânico".

Diz a lenda que, para escapar à sua perseguição, a ninfa Siringe se precipitou nos juncos do rio Ladão, transformando-se num deles. Então, Pã cortou vários destes juncos, de diferentes tamanhos, juntou-os com cera e exprimiu o seu amor, soprando neste instrumento a que mais tarde se chamou a flauta de Pã.

 

Fauno, na mitologia Romana, é um deus latino, filho de um mortal de nome Picus com a ninfa Canens. Picus não era mole: além de fazer filho numa ninfa, ainda deu o fora na feiticeira Circe, que se apaixonou por ele (mas esse foi seu erro: a feiticeira irada o transformou num pica-pau).

Fauno com certeza tinha um pai bruto!!! Outro motoqueiro mitológico de atitude.

Apesar de declarado morto, Pã é atualmente venerado amplamente pelos Neo-Pagãos, onde é considerado um poderoso deus e um arquétipo da virilidade e sexualidade masculina

No fim das contas, Pã era um cara que vivia cercado de ninfas (ver abaixo) comendo, bebendo, festejando, fazendo música e amor (nós do SMC acreditamos também que ele tinha uma moto e levava as ninfas na garupa).

As Ninfasalgumas ninfas recebendo alegremente um motoqueiro mitológico

As ninfas, na mitologia grega, eram entidades femininas da Natureza. Estavam freqüentemente associadas com divindades superiores, como Dionísio, o deus grego do vinho, e deuses mais rústicos, como Hermes e nosso velho amigo Pã. Gostavam muito de andar de moto e fumar arguile com os Deuses Brutos.

A palavra ninfomania teve sua origem aí, logicamente. Nossos aplausos pra todas as ninfomaníacas.

Pã/Fauno no cinema

Em Dezembro de 2006 uma produção espanhola apresentou a figura do Fauno no cinema. (http://en.wikipedia.org/wiki/Pan's_Labyrinth)

 

"El Laberinto del Fauno" (2006)- O filma se passa na Espanha de 1944, quando uma guerra civil confundia-se com as metralhas da Segunda Guerra Mundial. A protagonista é uma menina que começa o filme narrando, agonizante, em retrospectiva, os acontecimentos (como uma fábula). Ela conhece um inseto esquisito, com aparência nada abonadora, mas que a acompanhará a partir de então e, mais tarde, deixará clara a sua identidade de fada. Será a partir desse ser um tanto bizarro que ela conhecerá Pan, uma criatura tão irreverente quanto suspeita — e grande chave cômica do filme, é bom dizer — que entrega à menina a missão de descobrir três chaves mágicas para que volte a ser uma princesa. A menina vive entre dois mundos: o da fantasia, atraente, infantil mas também assustador, e o real — que é de domínio dos adultos e conta com um cenário que não gera dúvidas quanto ao seu horror.



 

 

Conclusão

Nenhum mal nisso tudo. Como se vê, o Jack, nosso honrado modelo, não tem nada a ver com quaisquer seres malignos reais ou imaginários.

JACK – o nome

Nosso fauno se chama “Jack”. Por quê?!

Vocês escolhem....seria pelo bourbon Jack Daniel´s que tanto gostamos? seria pela carta do Valete (J de Jack) do baralho? Seria pelo Jack, o Estripador, serial-killer que agia em Londres em 1888 ou seria homenagem a algum Jack famoso ?!?

Nem nós sabemos.......

JACK Daniel?

Valete JACK?

JACK, o estripador?

JACK WHO?